14 Propostas da CNI para o Fortalecimento da Economia Brasileira com Enfoque em Inovação

Com parte da base de dados levantada pela Macke Consultoria, a CNI realizou uma publicação no Valor Econômico que destaca o fato que a retomada da indústria deve priorizar baixo carbono, inovação e reforma tributária.

A CNI apresenta 14 propostas estratégicas para fortalecer a economia brasileira através de políticas industriais, reforma tributária e economia verde. Ainda, enfatiza importância da inovação para crescimento econômico e competitividade, inspirada pelo exemplo de Israel. Objetivo é acelerar crescimento econômico sustentável do Brasil.]

A indústria de transformação do Brasil já foi a oitava maior do mundo, mas tem perdido força globalmente, caindo de 2,58% em 2006 para apenas 1,28% em 2021. No cenário nacional, o setor industrial representava 48% do PIB na década de 1980, resultado de políticas públicas que incentivavam investimentos em setores estratégicos, mas hoje responde por apenas 23,6% do PIB. A retomada do incentivo às exportações e a integração internacional do Brasil são prioridades para o setor. É hora de fazer escolhas certas e não perder oportunidades no cenário internacional, alerta a publicação da CNI.

O texto da CNI também enfatiza a importância da inovação para o crescimento econômico e a competitividade das empresas. Com base em dados levantados pela Macke Consultoria e citados na publicação no Valor Econômico da CNI, Israel é um dos líderes mundiais em inovação, investindo mais de 4% de seu PIB em pesquisa e desenvolvimento. O país possui uma forte cultura empreendedora e uma ampla rede de parcerias entre empresas, universidades e instituições governamentais, o que contribui para o elevado índice de start-ups bem-sucedidas e soluções inovadoras em diversos setores.

Fomentar a inovação é fundamental para o desenvolvimento econômico de qualquer país. Isso permite a criação de novas tecnologias e produtos, aumenta a competitividade e atrai mais investimentos. Como resultado, a economia é fortalecida e o país é visto como um importante player global em inovação e desenvolvimento tecnológico. Para isso, o Brasil possui a Lei do Bem, que oferece incentivos fiscais para empresas que investem em projetos de pesquisa e desenvolvimento, contribuindo para o fomento da inovação e o crescimento econômico.

A CNI acredita que é necessário seguir o exemplo de Israel e investir em inovação para garantir o desenvolvimento econômico do Brasil. Além disso, é importante transformar as vantagens comparativas do país, como a matriz energética limpa e a biodiversidade, em vantagens competitivas, aumentando a participação da indústria brasileira no mercado global.

Materiais relacionados

Novo lote da Lei do Bem 2018 (1º Lote) é divulgado no site do MCTI

Após mais de 6 meses sem pronunciamento nenhum, o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação publicou novo lote de revisão [...]

Novo presidente da Finep é anunciado

O ex-ministro Celso Pansera foi nomeado como o novo presidente da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), de acordo com [...]

Multinacional chinesa BYD instalará nova fábrica de veículos elétricos no Paraná

Estado do Paraná e a multinacional chinesa BYD discutem instalação de uma unidade da multinacional no Paraná. ‎‎ㅤ Nesta terça-feira [...]

Alckmin assume MDIC e irá trabalhar em parceria com Luciana Santos, que assumiu o MCTI

Ministra da Ciência, Tecnologia e Inovação participou da solenidade de posse do vice-presidente da República no Ministério do Desenvolvimento, Comércio [...]