Lei do Bem

Reduza impostos, minimize riscos e aumente a rentabilidade do seu negócio utilizando a Lei do Bem, a principal Lei de Incentivo fiscal para empresas que investem em tecnologia.

O que é a Lei do Bem

A Lei do Bem Lei nº 11.196/05, foi criada como um incentivo fiscal em 2005, com o objetivo de estimular a inovação tecnológica e a pesquisa científica, permitindo que as empresas beneficiadas pela Lei do Bem possam investir em tecnologia e, ao mesmo tempo, reduzir a carga tributária, através de benefícios fiscais como a redução do Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ) e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL).

Desde sua criação, a Lei de Incentivo Fiscal para empresas já foi utilizada por mais de 8000 empresas e estimulou investimentos de mais de R$ 100 bilhões em tecnologia e inovação no Brasil, que geraram uma renúncia fiscal superior a 20 bilhões desde sua criação, segundo dados do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCTI).

Inovação é a chave de sucesso para que as organizações cresçam, se desenvolvam e não fiquem para trás diante de um cenário cada vez mais competitivo e exigente. É por esse motivo que há 15 anos, nós, da Macke Consultoria, atuamos no mercado de Consultoria de Lei do Bem e Benefício Fiscal, trabalhando ativamente na identificação de novos projetos e oportunidades para a maximização dos ganhos em incentivos fiscais.

Solicite um orçamento da Lei do Bem

*Ao enviar solicitação de contato declaro aceitar que os meus dados pessoais sejam recolhidos e tratados para a futura relação comercial. Caso mude de ideia: Política de Privacidade

Lei do Bem e Tecnologia: O conceito de inovação

O conceito de Inovação para a Lei do Bem é definido por legislação própria ( decreto 5.798/2006), e engloba a introdução de novidade ou aperfeiçoamento no ambiente produtivo ou social que resulte em novos produtos, serviços ou processos de fabricação. Além disso, a inovação deve envolver riscos e incertezas técnicas ou comerciais, e ser significativa para a empresa que a desenvolve.

Os projetos de inovação devem conter:

Dentro dos tipos de atividades de P&D contempladas pela Lei de Incentivo Fiscal destacam-se a pesquisa aplicada e o desenvolvimento experimental.

A pesquisa aplicada é aquela que busca aplicar conhecimentos existentes para o desenvolvimento de novos produtos, processos ou serviços. Já o desenvolvimento experimental envolve a realização de testes, ensaios e simulações para obter novos conhecimentos e aprimorar tecnologias existentes.

Lei do Bem e Tecnologia: O conceito de inovação

O conceito de Inovação para a Lei do Bem (Lei nº 11.196/05é definido por legislação própria (decreto 5.798/2006), e engloba a introdução de novidade ou aperfeiçoamento no ambiente produtivo ou social que resulte em novos produtos, serviços ou processos de fabricação. Além disso, a inovação deve envolver riscos e incertezas técnicas ou comerciais, e ser significativa para a empresa que a desenvolve.

Os projetos de inovação devem conter:

Por que contratar uma Consultoria Lei do Bem?

Ao longo dos últimos 15 anos, a Macke Consultoria criou uma abordagem única, voltada à identificação de novos projetos e oportunidades que permitam maximizar os ganhos desse Incentivo Fiscal. O nosso principal destaque é a prestação completa de serviços em relação à Lei do Bem, sem sobrecarregar os nossos clientes com tarefas exaustivas e com atuação contínua ao longo do processo.

Quando se fala em Lei do Bem tecnologia é a palavra-chave. Pensando nisso, nossa equipe é composta por especialistas, mestres e doutores nas mais diversas áreas das ciências e tecnologias, o que reflete diretamente na qualidade do material técnico entregue.

Baixe o nosso e-book da Lei do Bem.

*Ao baixar nosso e-book você declara aceitar que os seus dados pessoais sejam recolhidos e tratados para a futura relação comercial. Caso mude de ideia: Política de Privacidade

O conceito de Inovação para a Lei do Bem é definido por legislação própria ( decreto 5.798/2006), e engloba a introdução de novidade ou aperfeiçoamento no ambiente produtivo ou social que resulte em novos produtos, serviços ou processos de fabricação. Além disso, a inovação deve envolver riscos e incertezas técnicas ou comerciais, e ser significativa para a empresa que a desenvolve.

Principais Incentivos da Lei do Bem.

Exclusão adicional na base de cálculo da CSLL e IRPJ (LALUR) – do valor correspondente até 60% da soma dos dispêndios, classificados como despesas operacionais realizados com P&D no Ano Base

A renúncia fiscal com os incentivos pode atingir até 34% dos dispêndios com P&D

Exclusão adicional na base de cálculo da CSLL e IRPJ de 10% até 20%, no caso de incremento do número de pesquisadores dedicados exclusivamente à pesquisa e desenvolvimento contratados no ano de referência

Redução de IPI: até 50% de redução na compra de máquinas e equipamentos voltados para P&D. Depreciação e amortização acelerada desses bens

Continue informado com nossa newsletter.

*Ao assinar nossa newsletter você declara aceitar que os seus dados pessoais sejam recolhidos e tratados para a futura relação comercial. Caso mude de ideia: Política de Privacidade

Premissas para uso da Lei do Bem.

Para que uma empresa possa usufruir dos benefícios da Lei do Bem, é necessário o atendimento às seguintes premissas:

Obter lucro fiscal no ano base de sua utilização

Trabalhar no regime de lucro real

Investir em atividades de inovação apoiadas pela Lei do Bem

Estar em dia com as obrigações fiscais

Manter controle contábeis dos investimentos realizados

Ter documentação formal dos projetos realizados