Alta da Selic dificulta investimentos de longo prazo no país

Na quarta-feira (15/06), o Comitê de Política Monetária (Copom), do Banco Central, anunciou o aumento da taxa Selic de 12,75% para 13,25%. Uma elevação de 0,5 ponto percentual, no quarto encontro do comitê do BC em 2022. Dessa forma, as empresas que atuam no Brasil têm enfrentado muita dificuldade em realizar os seus investimentos em CAPEX (Capital Expenditure), que são suas despesas de capital ou seus investimentos em bens de capital, que normalmente requerem financiamento externo para sua realização.

Com o último aumento, nos últimos 12 (doze) meses a taxa Selic saiu de 4,25% a.a. em julho/2021 para incríveis 13,25% a.a. em julho/2022, uma elevação superior a 300%, ou seja, a taxa referencial para precificar o custo do dinheiro para investimentos subiu mais de 3 (três) vezes e pode ter favorecido a inibição em investimentos de CAPEX empresarial.

Por isso, há uma apreensão das empresas em realizar investimentos empresariais de longo prazo em direcionados a CAPEX nas áreas de aquisição de novas máquinas e equipamentos produtivos, construção ou expansão de planta industrial, aquisição de frotas de veículos, dentre outros.

Taxa Selic

A taxa Selic é o índice que impacta diretamente o título do CDI (Certificado de Depósito Interbancário) e o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo). Ambos são utilizados para precificar o dinheiro por parte das entidades financiadoras, como os bancos comerciais e o mercado de capital.

Financiamentos de Longo Prazo e Captação de Recursos

Ainda de acordo com o Banco Central, desde o ano de 2018 a remuneração do Fundo de Amparo do Trabalhador (FAT) e de financiamentos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) têm como base a TLP (Taxa de Longo Prazo). Para realizar financiamentos de longo prazo para investimentos em CAPEX no BNDES é importante considerar que a remuneração é baseada na TLP, que é diretamente influenciada pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) utilizado para observar as tendências de inflação, o qual nos últimos 12 meses acumula alta de 10,20%.

“A tendência é que com o aumento da Selic ocorra um recuo do IPCA, e por consequência deve ocorrer um recuo na TLP, utilizada pelo BNDES, favorecendo investimentos em Bens de Capital Produtivos para o próximo ano” explica André Moro Maieski, sócio da Macke Consultoria e especialista em operações de financiamento de CAPEX a longo prazo.

O especialista ainda comenta: “Hoje em dia, a oportunidade para empresários modernizarem suas empresas em termos de custo de capital em frentes como inovação tecnológica, como indústria 4.0, está na Finep – Financiadora de Estudos e Projetos, cuja taxa referencial está baseada na TJLP (Taxa de Juros de Longo Prazo), que no dia 01/07/2022, foi estabelecida pelo Banco Central em 7,01% a.a. Isso torna a taxa extremamente competitiva ao comparada com a Selic, que está em 13,25% a.a., e impacta diretamente os empréstimos baseados no CDI, principalmente para investimentos em CAPEX de longo prazo.”

Materiais relacionados

Lei do Bem: 18 Anos de Inovação e Rumo a Novas Mudanças

A Lei do Bem completa 18 anos nesse dia 21, e representa um grande marco para o estímulo à pesquisa [...]

Neoindustrialização e sustentabilidade econômica

Por André Moro Maieski, sócio da Macke Consultoria.
[...]

Macke coordena parceria inédita entre Volkswagen e Finep

A parceria entre Volkswagen do Brasil e Finep vai mobilizar R$ 259 milhões para inovação e sustentabilidade na indústria automobilística [...]

Lei do Bem: O Especialista em Incentivos Fiscais para inovação

Você já se pegou pensando se deveria ou não contratar um especialista para a sua empresa? Você não está sozinho. [...]