Lei do Bem: O Especialista em Incentivos Fiscais para inovação

Você já se pegou pensando se deveria ou não contratar um especialista para a sua empresa? Você não está sozinho. Afinal, com tanta informação disponível, o questionamento que fica é, será mesmo necessário? Navegar pelas inumerás possibilidades de incentivos fiscais, tais como a Lei do Bem, pode ser desafiador quando não se tem um direcionamento adequado.

Há inúmeras razões para considerar a contratação de um especialista. Embora existam muitas, a principal é a obtenção de resultados superiores. Quando unimos a experiência, dedicação e conhecimento interno de sua equipe com a expertise de um especialista, os benefícios são multiplicados, ultrapassando as limitações pré-existentes e potencializando os resultados.

A seguir, mergulharemos mais fundo nessa perspectiva e compreenderemos como a expertise pode ser vital para alavancar os investimentos de sua empresa, especialmente em áreas como inovação, tecnologia e leis de incentivo fiscal como a Lei do Bem.

Incentivos Fiscais e Captação de Recursos: Um Jogo Complexo

Os processos de inovação podem ser grandemente aprimorados e otimizados através de incentivos fiscais e captação de recursos por meio de instituições como a Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP) e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Quando bem estruturados, esses recursos e incentivos têm o potencial de elevar empresas a novos níveis de crescimento e inovação.

A gestão eficaz da inovação, alinhada à captação financeira e incentivos fiscais, pode resultar em avanços significativos para as empresas. Utilizando corretamente ferramentas como a Lei do Bem (Lei nº 11.196/05) e recursos financiados pela FINEP e pelo BNDES Inovação, as empresas podem alcançar resultados antes considerados inatingíveis.

A Real Natureza de um Especialista

Mas, afinal, o que faz de alguém um especialista? Baseando-se em estudos do livro Alto Desempenho, uma das 10 leituras essenciais da Harvard Business Review, a formação de um especialista leva uma média de dez anos e requer uma exposição profunda a situações relevantes e impactantes. O especialista precisa se dedicar intensamente ao aprimoramento de sua habilidade, buscando sempre o conhecimento de forma objetiva e focada.

A Lei do Bem (Lei nº 11.196/05) e a eficácia dos Incentivos Fiscais

Os incentivos fiscais, quando devidamente aproveitados, trazem uma série de benefícios. Não apenas fortalecem a saúde financeira das empresas, mas também estimulam ativamente o investimento em pesquisa e desenvolvimento. Isso, por sua vez, promove a geração de empregos e impulsiona a competitividade no mercado. Além desses aspectos, esses incentivos podem também facilitar a introdução de novas tecnologias e métodos inovadores. Com efeito, esse ciclo virtuoso contribui significativamente para a evolução constante de diversos setores, exercendo um papel crucial no fortalecimento contínuo da economia como um todo.

A Lei nº 11.196/05, também conhecida como Lei do Bem, ilustra bem esse cenário. Implementada pelo governo brasileiro em 2005 com o propósito de impulsionar a inovação tecnológica no país, essa legislação estabelece uma série de incentivos fiscais. Esses incentivos são direcionados às empresas que se engajam em atividades de pesquisa e desenvolvimento (P&D) no campo da inovação tecnológica. Consequentemente, parte dos investimentos destinados a essa área se torna passível de dedução tanto no Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ) quanto na Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL). Essa dedução, resultante de uma renúncia fiscal, pode alcançar até 27% do montante total de impostos.

A importância da Lei do Bem

A importância da Lei do Bem reside em sua capacidade de incentivar as empresas a investir em inovação tecnológica. No entanto, para se beneficiar dos incentivos fiscais, as empresas devem seguir um protocolo específico:

  1. Identificação de Projetos: As empresas devem identificar seus projetos inovadores.
  2. Documentação: É necessário preencher um formulário de prestação de contas chamado Form P&D. Além disso, relatórios detalhados devem ser anexados, destacando elementos inovadores, riscos tecnológicos, metodologias empregadas, desafios superados e outros itens críticos.
  3. Abrangência da Inovação: A inovação não se restringe a uma única área da empresa. Pode acontecer em áreas de pesquisa e desenvolvimento (P&D), produção, marketing e outras.

Um especialista em incentivos fiscais é fundamental neste processo. Esse profissional, com sua experiência e conhecimento, é capaz de:

  • Realizar entrevistas eficazes para identificar inovações.
  • Usar adequadamente os mecanismos e sistemas de inovação brasileiros.
  • Auxiliar na identificação e medição dos projetos incentivados pela Lei do Bem.

Com o apoio adequado, as empresas podem otimizar seus benefícios fiscais, aumentar os investimentos em inovação, assumir riscos tecnológicos maiores e, assim, aumentar a competitividade.

O especialista também tem a capacidade de:

  • Direcionar as empresas sobre como se comunicar efetivamente sobre seus projetos.
  • Descartar iniciativas que não se qualificam sob a Lei do Bem.
  • Indicar maneiras de a empresa investir mais no próximo ano, encontrar parceiros estratégicos e identificar novas inovações.

A expertise de um especialista em incentivos fiscais é construída ao longo de muitos projetos, estudos acadêmicos, interações com equipes técnicas e aplicação de metodologias especializadas. Eles são uma peça-chave para garantir que as empresas aproveitem ao máximo os benefícios oferecidos pela Lei do Bem.

Finep e BNDES: O Impacto da Especialização

Quando falamos de financiamentos e projetos, o papel de um especialista é inestimável. Seja na Finep, principal agência de inovação tecnológica do Brasil que planeja investir mais de 20 bilhões de reais nos próximos quatro anos, ou no BNDES, um dos principais bancos de fomento do mundo com sua linha de inovação tecnológica que passará a oferecer taxas atrativas partindo de apenas 3% ao ano.

Ambas as instituições, pilares fundamentais para a inovação tecnológica no país, e inseridas no plano do governo de industrialização para os anos de 2023 a 2026, proporcionam oportunidades auspiciosas para organizações viabilizarem seus planos estratégicos de inovação e crescimento. Um especialista nestas áreas pode traçar estratégias mais assertivas, otimizando processos e maximizando os retornos.

O especialista

Neste contexto, a figura do especialista em Finep e BNDES Inovação é de extrema relevância. Mas, o que define este especialista?

  • Experiência: Um especialista nestas áreas não é apenas um profissional teórico. Ele já atuou em diferentes fases de projetos, participou do planejamento e execução de iniciativas bem-sucedidas e conhece os intricados processos envolvidos, desde a redação de textos à adequação de orçamentos.
  • Adaptação: Este profissional já enfrentou desafios variados, como alterações de planos, negociações, prorrogações e execuções de planos de contingência.
  • Responsabilidade Fiscal e Financeira: Ele tem profundo conhecimento em prestar contas, captar recursos e atender demandas contratuais. Além disso, está familiarizado com as auditorias e entidades fiscalizadoras como TCU e CGU, assim como toda a base de regulamentação financeira, fiscal, risco de crédito e demais obrigações legais.
  • Formação e Dedicação: Sua preparação acadêmica e experiência prática são complementadas por uma busca contínua de conhecimento. Seja através de estudos formais ou da observação atenta de detalhes em seu dia a dia, o especialista se empenha constantemente em ampliar sua expertise.

Assim, o especialista em Finep e BNDES Inovação não é apenas um consultor. Ele é um profissional que, armado com experiência e conhecimento, busca constantemente oportunidades e soluções, moldando um portfólio pessoal rico e facilitando a observação e obtenção de novas oportunidades no mercado.

Afinal, eu preciso de um especialista em Lei do Bem e outros incentivos?

O mundo dos negócios é complexo e em constante evolução. Em meio a esse cenário, a figura do especialista surge como um farol, iluminando caminhos e abrindo portas para oportunidades. Seja na maximização de incentivos fiscais, na elaboração de projetos de inovação ou na compreensão das nuances dos financiamentos, um especialista é um investimento que pode trazer retornos inestimáveis para sua empresa.

Ao considerar a trajetória do seu negócio, pergunte-se: estou realmente aproveitando todas as oportunidades? E, talvez, a chave para essa resposta esteja na expertise de um especialista.

A Macke Consultoria

Com mais de 14 anos de experiência no setor de inovação, a Macke Consultoria é especialista em leis de incentivos governamentais e captação de recursos voltados para projetos de PD&I, modernização e expansão de negócios. Nosso profundo conhecimento da Lei do Bem (Lei nº 11.196/05), principal instrumento de fomento à inovação no país, nos permitiu atuar em inúmeros projetos, gerando mais de R$ 4 bilhões em ganhos para empresas.

Materiais relacionados

Lei do Bem: 18 Anos de Inovação e Rumo a Novas Mudanças

A Lei do Bem completa 18 anos nesse dia 21, e representa um grande marco para o estímulo à pesquisa [...]

Neoindustrialização e sustentabilidade econômica

Por André Moro Maieski, sócio da Macke Consultoria.
[...]

Macke coordena parceria inédita entre Volkswagen e Finep

A parceria entre Volkswagen do Brasil e Finep vai mobilizar R$ 259 milhões para inovação e sustentabilidade na indústria automobilística [...]

Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil: Desafios e Incentivos para o Desenvolvimento

Nos últimos sete anos (2016-2022), o Brasil passou por sucessivos reajustes fiscais para equilibrar suas contas públicas, o que afetou [...]